jusbrasil.com.br
18 de Agosto de 2022
    Adicione tópicos

    Entre Algoritmos e Inteligência Artificial: O Mercado Emergente para os Novos Juristas

    João Batista S. Costa Jr, Estudante
    há 11 meses

    Introdução

    Um olhar inovador sobre as possibilidades e anseios do mercado cresce substancialmente com o advento das novas tecnologias, tais como os algoritmos e a Inteligência Artificial, com isso tanto o panorama jurídico quando a organização social e o mercado como um todo estão sofrendo significativas modificações. A pesquisa ambiciona transportar a visão do jurista e operador do direito às novas possibilidades emergentes com o uso constante da tecnologia nos processos e na sociedade. Através de um objetivo baseado em incorporar conhecimentos aos profissionais que enfrentarão essa cadeia de mudanças abordaremos os principais usos e benefícios de tais inovações tecnológicas.

    Problemática Pesquisada

    A disrupção do conceito de que os juristas possuem uma cultura primordialmente ortodoxa e conservadora é a problemática central da pesquisa. Com isto teremos uma visão ampla sobre os fatos geradores desse “saber comum” empenhando-nos, através do estudo dirigido incitar, que devem ser transpostos tais conceitos limitadores, através da imersão nas possibilidades tecnológicas promovidas, principalmente, como advento da quarta revolução industrial.

    Objetivos

    Com o conhecimento dos paradigmas inerentes ao profissional jurídico, enfrentaremos tais estereótipos a fim de validar de forma informativa e elucidativa a revolução técnica e multidisciplinar do profissional frente os ditames mercadológicos que estamos lidando. Nosso objetivo é preparar a nova geração de juristas para, através do conhecimento e erudição, revolucionar o mercado de trabalho, apresentado soluções através da utilização da Inteligência artificial e algoritmos.

    Metodologia

    Através da pesquisa bibliográfica aplicada, do estudo multidisciplinar, vinculando a perquirição de livros, periódicos, artigos, além das diversas fontes do Direito admitidas hodiernamente, de forma integrativa às fontes e tendências tecnológicas, trouxemos uma visão evolutiva do mercado, pautada em métodos argumentativos e descritivos, objetivando promover um cenário efetivo através das inovações promovidas por startups, em especial lawtechs e legaltechs, esculpindo o novo jurista a desenvolver suas capacidades intelectuais, dispensando o esforço repetitivo com a atuação significativa dos algoritmos e inteligência artificial.

    Algoritmos e Inteligência Artificial

    Muito se fala em Inteligência Artificial, mas onde a encontramos? A Inteligência Artificial, ou IA, está presente em nosso dia a dia, por exemplo, nas sugestões de propagandas enquanto navegamos na internet, quando o e-mail identifica um spam, quando o editor de textos identifica um idioma e sugere uma tradução, em programas instalados no computador, tablet, celular, nas pesquisas por reconhecimento de voz, no atendimento eletrônico via telefone ou chat e até na sugestão de marcação de amigos pela identificação facial nas fotos que postamos no facebook.

    A IA está sendo amplamente utilizada em softwares jurídicos através do empenho de lawtechs e legaltechs que diariamente buscam formas de auxiliar o profissional jurídico frente a competitividade do mercado.

    Bem rapidamente dá para ter uma noção do que é a IA bem diferente das produções cinematográficas onde grandes robôs lutam contra a humanidade. E os algoritmos, o que são? Podemos definir algoritmos como toda a sequência de instruções, agrupadas e finitas, com o fim de solucionar um problema. São pequenas partes individualizadas que podem ser reunidas e encadeadas numa sequência organizada e lógica no sentido de possibilitar a resolução de casos mais complexos. Através deles é possível “ensinar” a máquina e construir um método de inteligência artificial.

    Embora o cenário possa parecer maravilhoso, muitas implicações existem e muitas outras deverão surgir até que estes conceitos estejam funcionais e 100% aplicáveis. Para que um método de IA “aprenda”, através dos algoritmos, é necessário que uma enorme quantidade de dados (Big Data) esteja estruturada e contemplando diversas possibilidades para solução dos problemas. Além disso, faltam profissionais aptos a lidar com as diversas tecnologias em torno da IA, tais como, cientistas de dados, programadores com formação multidisciplinar, engenheiros de dados, profissionais de TI e telecomunicações e até mesmo profissionais com formações ainda não consolidadas.

    O Impacto da IA no mercado de Trabalho

    Diferente do que alguns inicialmente acreditam, a IA não pretende tomar o lugar dos humanos. Os métodos de trabalho devem ser otimizados utilizando a IA para melhorar determinados serviços repetitivos, como os de um funcionário que analisa documentos para obtenção de dados, levando horas, dias e até meses para desempenhar a tarefa, mas que com o auxílio da IA, sua função será a de alimentar um sistema que analise e apresente os dados documentais, possibilitando que seu tempo seja usado para se dedicar as tarefas mais intelectuais que geram mais satisfação e retorno para a empresa.

    A preocupação dos novos juristas com o caminho possivelmente traçado pelo mercado deverá ser pautada no desenvolvimento de competências diversificadas, não somente capacidades técnicas, mas também capacidades humanas, conhecidas como soft skills, tais como liderança e adaptabilidade e boa comunicação. Gerando não somente juristas em um sentido strictu senso, mas profissionais jurídicos completos, atuando como líderes, pensadores, desenvolvedores de soluções, buscando o entrosamento entre os diversos atores que dominarão o mercado futuro, na busca incessante pelo equilíbrio.

    Resultados Alcançados

    A pesquisa, em constante evolução, tem conseguido resultados significativos na disseminação de conteúdo através de meios digitais, bem como apresentações focadas em elucidar estudantes e demais profissionais interessados quanto as possibilidades emergentes através das novas tecnologias, principalmente no que tange a participação dos novos juristas na sociedade.

    O papel essencial do advogado na sociedade tem, pela primeira vez na história, a possibilidade de se expandir e auferir uma nova roupagem, estendendo sua atuação não somente ao campo jurídico mas também nas searas de liderança, empreendedorismo, educação, inovação, gestão e design de conflitos. Sendo obrigação daqueles que estudam de forma metodologicamente organizada promover de forma generosa a adequação da sociedade e principalmente, dos estudantes de direito, a estas novas possibilidades.

    Referências:

    PINHEIRO, Patricia Peck. Direito Digital. 4. Ed. São Paulo. Saraiva, 2010.

    MAGRANI, Eduardo. Entre Dados e Robôs. Arquipélago Editorial, 2019.

    MAGRANI, Eduardo. Democracia Conectada. Juruá, 2014.

    Autores:

    João Batista Soares da Costa Junior e Jeferson Pontes da Silva

    Orientadora:

    Profª Drª Rossana Marina De Seta Fisciletti

    0 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)